Greenfield mira em 50 grupos e perdas de R$ 54 bi

Operação é líder no ranking de prejuízos detectados em esquemas de corrupção; investigação apura fraude em fundos de pensão e investimento Sem contar com a popularidade da Operação Lava Jato – que apura esquema de corrupção e cartel na Petrobrás –, a Operação Greenfield é, de longe, a que mais impressiona pelo volume de prejuízos, … Leia mais

Orcrim’s deixam rombo de R$ 123 bi. Metade nos fundos de pensão e 4x maior que Lava Jato

Organizações criminosas deixam rombo de R$ 123 bi Desvios. Dados da PF revelam prejuízo causado em 4 anos por grupos investigados em 2.056 operações; quase metade do valor está ligado a fraudes nos fundos de pensão Em quatro anos, a Polícia Federal deflagrou 2.056 operações contra organizações criminosas que provocaram prejuízos estimados em R$ 123 bilhões ao … Leia mais

Ronaldo Tedesco x (ou +) Arthur Ferrari = FARINHA DO MESMO SACO

Lançadas as candidaturas aos conselhos da Petros, tomamos conhecimento do desafio jocoso que um eterno candidato faz a um novo. Novo, mas que lhe pretende seguir os passos. Dada a enorme quantidade de asneiras escritas por esse desafiante incompetente eu sequer ia lhe responder. Pesou no entanto, voltar atrás na decisão, as várias mentiras que … Leia mais

Sete Brasil – Grupo de Lula exigiu propina de US$ 133 milhões, diz Duque

As comissões eram divididas, segundo o ex-diretor da Petrobras, entre o PT, o ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente da República Por Hugo Marques, Thiago Bronzatto, Laryssa Borges access_time 5 maio 2017, 18h05 – Atualizado em 5 maio 2017, 18h11 (Reprodução/Reprodução) O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT e José Dirceu, ex-homem forte … Leia mais

Sete Brasil – Delação de Palocci pode revelar divisão de propinas com Lula

Delação de Palocci pode revelar divisão de propinas com Lula, diz jornal A revelação sobre o esquema teria sido feita na última quarta-feira (19), um dia antes do depoimento prestado ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba SÃO PAULO – O ex-ministro Antônio Palocci pode revelar que dividiu um terço das propinas provenientes da criação da … Leia mais

“Seria um bobo se não entrasse no esquema”, diz ex-presidente da Sete Brasil

Foto de Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil Em depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, em ação penal relativa à Operação Lava Jato da qual é réu, acusado de receber propina por contratos de com estaleiros que produziram sondas para a Petrobras, o ex-presidente da Sete Brasil, empresa constituída para fornecer as sondas para o pré-sal, João … Leia mais

FUNCEF, PREVI e VALIA cobram da Petrobras perdas na Sete Brasil. E a PETROS???

PETROS disse que não há ações contra a Sete Brasil.

Fundos de pensão que investiram na Sete Brasil, empresa destinada a construir sondas para exploração do pré-sal, vão recorrer contra a Petrobras em uma câmara de arbitragem para tentar recuperar os prejuízos causados por um esquema de corrupção envolvendo a petroleira.

Segundo apurou o Valor, a Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, vai recorrer à Câmara de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil Canadá. A entidade segue o mesmo caminho feito pela Funcef, da Caixa Econômica Federal, e pela Valia, dos funcionários da Vale, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

As informações correm em sigilo na câmara de arbitragem e o recurso é previsto em contrato. Procurada, a Previ disse que não iria comentar o assunto. Representantes da Valia e da Funcef não foram localizados. Os fundos têm participação na Sete por meio do FIP Sondas, dono de 95% da companhia.

O entendimento é que o resultado da arbitragem depende do desenrolar do plano de recuperação judicial da Sete Brasil, protocolado em agosto após a derrocada do petróleo e os escândalos de corrupção. O plano exigiria investimentos adicionais de US$ 5 bilhões. Uma assembleia para votar o plano foi adiada em janeiro, na falta de consenso entre os credores.

Os fundos de pensão não estão sozinhos. Nos Estados Unidos, o fundo de investimento EIG Partners, também cotista do FIP Sondas, propôs uma ação na Corte Distrital de Columbia por prejuízos com a Sete Brasil na qual são requeridos US$ 300 milhões de indenização da Petrobras.

A Sete Brasil recebeu inicialmente a encomenda de 28 sondas, um projeto que exigiria aportes de US$ 26,4 bilhões.

A Funcef aplicou inicialmente R$ 350 milhões no FIP Sondas, fatia que subiu para R$ 1,38 bilhão após aderir ao aumento de capital. Hoje tem 18% da empresa. Já a Previ colocou R$ 180 milhões para adquirir uma participação de 9,9% da Sete Brasil. A entidade decidiu não participar do aumento de capital e diluiu sua fatia para 2,3%. A fundação costuma afirmar que o investimento foi “profundamente investigado” pela CPI dos Fundos de Pensão, e que sua atuação foi destacada como exemplo na decisão de não acompanhar a segunda oportunidade de investimento.

O investimento da Valia na Sete foi de R$ 200 milhões. Assim como os outros fundos de pensão, a fundação também reconheceu as perdas com o investimento em seus balanços, considerando a remota possibilidade de continuidade do plano de negócios da empresa.

Além de ter sido alvo da CPI dos Fundos de Pensão, a Sete Brasil está envolvida em escândalos de corrupção no Brasil, como as operações Lava-Jato e Greenfield, relacionada a fundos de pensão, e em que foi alvo de mandados de busca e apreensão em setembro. Na Lava-Jato, a força tarefa já disse que a empresa foi criada para majorar preços e fraudar licitações do mercado de navios e plataformas. Os procuradores disseram, em abril de 2016, que o plano para montar a Sete Brasil serviu para como uma extensão do esquema de propinas na Petrobras.

A Petros, que também é cotista e já pediu investigação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a respeito de outros FIPs, disse que não há ações contra a Sete Brasil.

http://mobile.valor.com.br/empresas/4863384/fundos-de-pensao-cobram-da-petrobras-perdas-na-sete-brasil

Petros — O show de horrores —> Estava tudo errado

Sérgio Salgado Assim que um grupo de participantes da nossa Fundação tomou conhecimento da realidade da Operação Jaú, denunciada pela revista Veja em junho de 2011, via Análise-Denúncia do Domingos Saboya, negociata praticada pelos gestores da Petros em dezembro de 2010 e aprovada por unanimidade pelos Conselheiros da Petros, tanto os Eleitos quanto os Indicados … Leia mais

O show de horrores que Walter Mendes viu ao assumir a PETROS

Walter Mendes, da Petros (Marcelo Correa/Revista EXAME) Após uma carreira de três décadas no mercado financeiro, Walter Mendes assumiu a presidência e constatou: a Petros é um show de horrores Por Ana Paula Ragazzi São Paulo – Quando completou 55 anos, com mais da metade deles dedicada a uma intensa carreira no mercado financeiro, o economista paulistano … Leia mais

Presidente da PETROS recebe o Discrepantes – S.O.S. PETROS

Em 8 de dezembro de 2016, o Presidente da PETROS recebeu uma representação do Discrepantes formada por Abdo Gavinho, Maria Alice Meirelles Vianna, Marilena Maçol Costa, Raul Correa Rechden e, Sérgio Salgado. Apresentamos, na oportunidade, a carta abaixo transcrita: Os  Discrepantes, se apresentam através de um site na internet, com uma base de aproximadamente 24.000 … Leia mais

Relatório da Petrobras cita prejuízo de quase R$ 1 bilhão com a Sete Brasil

Um relatório interno da Petrobras indica que a estatal teve um prejuízo de R$ 987 milhões com irregularidades na construção e contratação de sondas pela Sete Brasil – empresa criada para a exploração do petróleo da camada pré-sal. O dado foi mencionado no indiciamento do ex-ministro Antonio Palocci protocolado na Justiça Federal na segunda-feira (24). … Leia mais

Petros estuda recorrer à Justiça para recuperar recursos perdidos

FLORIANÓPOLIS – A Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, analisa recorrer à Justiça para recuperar recursos perdidos em investimentos irregulares, como os que foram investigados na operação Greenfield e na CPI dos Fundos de Pensão. — É um caminho a ser tomado. Isso está sendo analisado por todos os meios legais que estejam … Leia mais

Conselheiros eleitos se escondem no Fidef e resolvem “legislar”

Louvável, mas no momento de uma hecatombe nos fundos de pensão soa como estivessem indo para o porão e resolvessem filosofar sobre o mundo ideal. Não é isso que esperamos dos conselheiros eleitos, neste momento. Queremos esclarecimentos sobre a sua atuação para fazer frente às tamanhas falcatruas que estão vindo à tona. Porque nos desqualificavam … Leia mais

RELATÓRIO DA PF LIGA APLICAÇÕES DE FUNDOS A DOADORES DO PT

No relatório em que detalham a possível “gestão temerária e fraudulenta” em investimentos realizados pelos quatro maiores fundos de pensão de estatais federais, os investigadores da operação Greenfield, da Polícia Federal, citam a “suspeita de que pressões políticas e lobbies realizados por grupos econômicos próximos ao governo federal tenham pressionado a diretoria e os conselhos … Leia mais

Fundos investigados pela Greenfield ignoraram advertências sobre empresas

Brasília, 07 – Gestores de fundos de pensão de empresas estatais investigados no âmbito da Operação Greenfield ignoraram advertências e aportaram bilhões em investimentos duvidosos, segundo o Ministério Público e a Polícia Federal. As aplicações foram feitas mesmo diante de prejuízos constatados e avaliações “inverossímeis”. Análises apontavam empreendimentos sujeitos a riscos ambientais e jurídicos como … Leia mais

Fundos investiram em Sete Brasil e OAS, que entraram em recuperação judicial

Sonda Urca, uma das mais adiantadas da Sete Brasil, empresa que pediu recuperação judicial – Divulgação RIO E SÃO PAULO – Dos dez investimentos feitos por fundos de pensão investigados na Operação Greenfield, da Polícia Federal, dois foram em empresas que acabaram entrando em recuperação judicial — Sete Brasil e OAS — e que têm, … Leia mais

Greenfield aponta ‘pressão política’ sobre fundos

No relatório em que detalham a possível “gestão temerária e fraudulenta” em investimentos realizados pelos quatro maiores fundos de pensão de estatais federais, os investigadores da operação Greenfield, da Polícia Federal, citam a “suspeita de que pressões políticas e lobbies realizados por grupos econômicos próximos ao governo federal tenham pressionado a diretoria e os conselhos … Leia mais

A inevitável devassa em fundos de pensão de estatais

Uma investigação séria sobre fundos de pensão de empresas estatais é algo que se encontra no radar há muito tempo. Ela chegou agora, com a Operação Greenfield, da PF — termo tirado do jargão dos negócios que designa projetos novos, ainda em fase inicial de formulação —, lançada para aprofundar investigações de negócios suspeitos envolvendo … Leia mais

Investimentos suspeitos foram relatados em CPI

Investimentos suspeitos foram relatados em CPI Investimentos em ativos superavaliados, tráfico de influência, conflito de interesses e outras irregularidades investigadas na Operação Greenfield da Polícia Federal foram relatadas na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos fundos de pensão, encerrada este ano. A operação teve entre os alvos aportes das fundações em fundos de participação (FIP), … Leia mais

Confira os fundos de investimentos em participações suspeitos de fraudes, segundo a PF

POR ANTONIO TEMÓTEO A lista de investimentos com irregularidades realizados pelos fundos de pensão dos empregados da Petrobras (Petros), da Caixa Econômica Federal (Funcef), do Banco do Brasil (Previ) e dos Correios (Postalis) é ampla. As operações passam por construtoras, fabricante de celulose e estaleiros. Confirma os fundos de investimentos em participação suspeitos.   FIP … Leia mais