BR Distribuidora: Funcionários que não aderirem a programa de demissão voluntária podem ter salários reduzidos

Segundo empresa, rendimentos de empregados estão 30% acima da média do mercado

BR: salários reduzidos. Foto: UESLEI MARCELINO / ReutersBR: salários reduzidos. Foto: UESLEI MARCELINO / Reuters

RIO – Os funcionários da BR Distribuidora que não aderirem ao Programa de Desligamento Optativo (PDO) poderão ter seus salários reduzidos, disse nesta terça-feira a empresa.

A BR explicou em nota que, em algumas comunicações internas e para os investidores, "deixou claro que os salários atuais dos funcionários estão 30% a 40% maiores que os de mercado e de seus concorrentes diretos, que também são grandes grupos empresariais".

Leia: BR Distribuidora tem lucro de R$ 1,3 bilhão em 1º balanço após privatização

Dessa forma, "aqueles que continuarem na empresa terão que se adequar à nova realidade da companhia. Serão revisados caso a caso e tudo dentro do que a legislação permite", diz a empresa.

— A BR está tendo todo o cuidado e respeito com os funcionários diante dessa inevitável adequação ao mercado — ressaltou uma fonte próxima à companhia.

Presidente da Petrobras : ‘Tenho de pensar no que é melhor para o acionista’

A companhia, privatizada em julho último, anunciou no último dia 8 o lançamento do programa, com prazo a partir do dia 12 até o próximo dia 21.

Mas a juíza Gabriela Canellas Cavalcanti, da 1ª Região do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), concedeu liminar nesta terça-feira suspendendo a data do fim do prazo para a adesão ao programa.

Quanto à liminar concedida pela juíza, a BR informou que seu departamento jurídico está tomando as providências cabíveis.

Análise : venda da BR é a maior operação na Bolsa desde 2015 e atrai investidor estrangeiro

A companhia afirmou que respeita as leis e as decisões judiciais, "buscando também garantir pelos meios legais e dentro de toda ética se manter competitiva agora como empresa privada e em mercado altamente disputado".

Atualmente, a BR tem cerca de 3 mil empregados.

De acordo com outra fonte, a ideia da BR é, após concluído o plano de demissão voluntária, negociar os salários diretamente com os empregados, conforme previsto nas novas regras trabalhistas.

A BR, maior distribuidora de combustíveis do país, foi privatizada em julho último, quando a Petrobras, em uma operação de venda de ações, reduziu sua participação na empresa de 71% para 41%.

BR Distribuidora: Funcionários que não aderirem a programa de demissão voluntária podem ter salários reduzidos – Jornal O Globo

https://oglobo.globo.com/economia/br-distribuidora-funcionarios-que-nao-aderirem-programa-de-demissao-voluntaria-podem-ter-salarios-reduzidos-1-24089757

Print Friendly, PDF & Email