Diretoria da AEPET decide pelo apoio à proposta apresentada pela PETROS

Haverá redução significativa no tamanho das alíquotas extras

Paulo Brandão, Diretor ad hoc da AEPET, apresentou à Diretoria da AEPET a proposta do presidente da Petros para o novo equacionamento do déficit do plano PPSP, denominado PED, conjugado com os próximos PEDs relativos aos PPSPs R e NR, apresentada pelo presidente da Petros, Bruno Dias, ao GT Paritário (Petrobras/Petros/Federações).

Segundo Paulo Brandão, a proposta é superior àquela apresentada pelo Grupo de Trabalho e tornou-se mais favorável aos interesses dos participantes e assistidos com alterações decorrentes de sugestões feitas pelos participantes da reunião mencionada, visto a manutenção do cálculo das pensões em 50% mais 10% por dependente e o aumento do valor do pecúlio, havendo compensação pela perenidade do valor deduzido do abono anual para 70%.

O deflator, que na proposta do GT Paritário reduziria os aumentos dos benefícios em manutenção durante cinco anos, deixa de existir e haverá redução significativa no tamanho das alíquotas extras pagas pelos participantes, assistidos e pensionistas. Além disso, com a mudança do plano de custeio dos PPSPs R e NR ocorrerá cobertura do déficit de R$ 8,4 bilhões registrado em 2018.

Adicionalmente, a proposta inclui a segregação dos Pré-70 em dois planos novos (repactuantes e não repactuantes) com a Petrobrás aportando R$ 3,6 bilhões para viabilizar a proposta do equacionamento.

A Diretoria da AEPET decidiu pelo apoio à proposta apresentada, porque considera vantajosa para os associados em razão das eliminações dos denominados PEDs assassinos. Se necessário for o apoio formal, será avaliada, inclusive, a necessidade de se promover Assembleia Geral específica – se houver orientação da assessoria jurídica.

Clique aqui para ler a proposta do presidente da Petros

https://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/3918-aepet-avalia-proposta-da-petros-para-reequacionamento-dos-ppsp

Print Friendly, PDF & Email