Com presença do presidente da Petros, Sindipetro-LP decide condicionante da nova proposta da Petros

A Petros apresentou uma nova proposta de equacionamento em reunião no dia 22 de outubro com o GT Paritário, grupo de trabalho que discute alternativas para o equacionamento dos planos Petros do Sistema Petrobrás.

Para dar continuidade às negociações para implementar o novo plano de equacionamento, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) e Petrobrás, estabeleceram a condicionante de que as entidades de petroleiros se comprometam a não moverem ação como substituto processual, ou seja ação coletiva ou ação plurimas. contra a nova proposta. Cada entidade, incluindo o Sindipetro-LP, levará essa condicionante para assembleia.

No Litoral Paulista, a aprovação ou rejeição dessa condicionante será votada em assembleia geral extraordinária, nesta quarta,13 de novembro. A assembleia, que acontecerá na sede, com transmissão para subsede, em São Sebastião, começa a partir das 17h30, em primeira chamada, e às 18h em segunda chamada.

O pleito contará com a presença do presidente da Petros, Bruno Dias.

A nova alternativa manteve a concepção original e incorporou sugestões apresentadas pelas entidades representativas dos participantes e assistidos à proposta inicial da Petros, de primeiro realizar a cisão do pré-70 e depois efetuar o equacionamento total do déficit (2015 e 2018) por meio da combinação de contribuição extraordinária com alterações de regulamento.

Cabe ressaltar que a atual regra de pensão de 50% mais 10% por dependente não foi alterada.

A proposta deverá ainda ser aprovada pelas instâncias de governança da Petros, dos patrocinadores, pela Sest, órgão supervisor da Petrobrás, e pela Previc, que fiscaliza o setor.
Participe da assembleia e tire suas dúvidas!

Print Friendly, PDF & Email