Greenfield impacta diretamente na qualidade de vida de 1.247.914 pessoas que foram vítimas de crimes

(Atualizada) FT Greenfield apresenta balanço de atividades realizadas até julho de 2019 — Procuradoria da República no Distrito Federal

Transparência e Combate à Corrupção
23 de Setembro de 2019 às 11h50

Produtividade e demandas cresceram. Somente em uma, das sete operações englobadas pela Força-Tarefa, há quase R$1 tri em movimentações para serem analisados.

A Força-Tarefa Greenfield enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR), prestação de contas das atividades realizadas pela equipe, entre agosto de 2018 e julho de 2019. No relatório, os procuradores esclareceram que, desde o último balanço encaminhado no ano passado, a FT registrou incremento de quase 50% em metas a serem cumpridas em seu plano de ação. O aumento é decorrente de novos casos de atribuição da Força-Tarefa, bem como de colaborações premiadas e outras investigações.

No balanço, os procuradores destacaram a necessidade de receber novos membros com dedicação exclusiva no grupo, já que, somente na Operação Greenfield, há quase R$1 tri em movimentações financeiras para serem analisadas, bem como dados de 145 investigados. A preocupação é motivada porque, em outubro deste ano, dois membros sairão da FT e, em janeiro, pelo menos um dos procuradores remanescentes não estará exclusivamente dedicado aos trabalhos da Greenfield. Ou seja, a produtividade poderá ser sensivelmente prejudicada.

Além disso, ao longo do documento, os procuradores demonstraram a apresentação de mais de 20 novas ações – sejam penais ou de improbidade – durante o período. A produtividade foi maior que no ano anterior. A peça cita o já garantido ressarcimento de, aproximadamente, R$11,6 bilhões ao Erário, aos fundos de pensão e às vítimas dos crimes. Destaca ainda melhorias de gestão e controle dos fundos de pensão e da Caixa Econômica.

As investigações conduzidas pela Força-Tarefa envolvem, em sua maioria, fraudes praticadas contra fundos de pensão. “Somente em relação aos três maiores fundos de pensão do Brasil, o trabalho da FT Greenfield impacta diretamente na qualidade de vida de 1.247.914 pessoas que foram vítimas de crimes, sem contar os participantes de outros fundos de pensão”. Nesse aspecto, a repercussão social das irregularidades investigadas alcança inclusive os mais de 93 milhões de trabalhadores com recursos depositados no FGTS. A última atualização sobre os potenciais prejuízos a serem identificados revela um rombo total de R$54 bilhões.

Além da Operação Greenfield, a força-tarefa é responsável pelas operações Sépsis e ‘Cui Bono?’, Conclave, Tesouro Perdido, Patmos e Circus Maximus. Conduz ainda três denúncias apresentadas contra o ex-presidente Michel Temer.

Íntegra

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Distrito Federal
/ 5457
www.mpf.mp.br/df

twitter.com/MPF_DF

http://www.mpf.mp.br/df/sala-de-imprensa/noticias-df/ft-greenfield-apresenta-balanco-de-atividades-realizadas-ate-julho-de-2019

Print Friendly, PDF & Email