Ex GE de Planejamento da Petros é o novo diretor Administrativo da Funcesp

Funcesp fecha 2018 com superávit de R$ 1,6 bi e rentabilidade de 14%, mas fica abaixo da meta | Arena do Pavini

A Funcesp – maior fundo de pensão de capital privado do país – encerrou 2018 com o superávit acumulado de R$ 1,6 bilhão e uma rentabilidade consolidada de 14%. O desempenho superou em muito o CDI (6,4% no período), ficando bem próximo do ganho verificado pelo Índice Bovespa, que avançou 15% no período. A rentabilidade, porém, ficou um pouco abaixo da meta atuarial, de 15%, devido à forte volatilidade do IGP-DI. No acumulado dos últimos dez anos, a Funcesp alcançou a rentabilidade de 252% ante uma meta atuarial de 204%

Os resultados foram apresentados no dia 15 de maio na 8ª edição do Encontro com Participante. Durante o encontro, a diretoria da organização abordou os desafios de gestão de recursos com uma taxa básica de juros (Selic) reduzida – atualmente em 6,5% ao ano.

Mais riscos nas carteiras

O presidente da Funcesp, Walter Mendes, afirmou que, dada a queda do juro real, os fundos de pensão do país terão que aumentar a parcela de investimentos com risco mais elevado em suas carteiras, como já acontece no exterior. Mendes lembrou que nos mercados desenvolvidos as fundações carregam portfólios com cerca de 40% a 60% de ativos com risco mais acentuado. “Creio que, no Brasil, as fundações caminham para se aproximar da situação internacional”, afirmou, conforme nota divulgada pela Fundação.

Ele recordou que, no passado, era difícil competir com o CDI. “O título público tinha liquidez, segurança e taxa real de juros era elevada”, comenta. “Hoje existem mais produtos, um leque muito maior de gestores no mercado e uma facilidade maior de se investir no exterior, por exemplo”, disse. A demanda por risco deve criar uma oferta de novos produtos e serviços, proporcionando ferramentas para lidar com esse cenário, acrescentou.

Maior volatilidade dos planos

A realidade dos juros menores impõe desafios em linha com o que já existe no exterior, afirmou Jorge Simino, Diretor de Investimentos e Patrimônio da Funcesp. Segundo ele, comparado ao passado, para se alcançar o atual nível da meta atuarial seria necessário aumentar em várias vezes o risco da carteira de investimentos das fundações, o que, inevitavelmente, acarretará uma volatilidade maior nos resultados ao longo do tempo. “Sabemos o quão significativo é o desafio, mas é possível lidar com essa situação”, explicou.

Será importante também aumentar a base de ativos e a escala para manter a competitividade, destacou Luciana Dalcanale, diretora de Previdência da Funcesp. “Tanto para os planos de previdência quanto para os de saúde, a atração de novas vidas é fundamental para garantir a sustentabilidade dos nossos benefícios no longo-prazo, possibilitando, inclusive, menores custos aos participantes”, disse.

Fundo para parentes até 4º grau

Luciana também apresentou o mais novo plano da fundação, o Familinvest, destinado aos familiares de até 4º grau de parentesco dos participantes e assistidos. Até o ano passado, as fundações só podiam oferecer planos para os funcionários das empresas associadas ou seus parentes de primeiro grau. Agora, é possível ter planos para parentes mais distantes, ampliando o leque de potenciais associados.

O Familinvest tem a gestão da Funcesp e permite resgates a partir do terceiro ano para projetos pessoais, além de uma taxa de administração de 0,2% ao mês sobre o patrimônio.

Novo diretor administrativo

O Encontro com Participante foi também a oportunidade de apresentar o novo diretor Administrativo da Funcesp, Washington Salles. O executivo tem mais de 35 anos de experiência – com passagens pela General Electric do Brasil, Marinha do Brasil, Petrobras e, mais recentemente, pela Petros, fundo de pensão no qual foi gerente-executivo de Planejamento, na época em que Walter Mendes era presidente da fundação. Segundo nota, Salles vai para gerir as áreas Administrativa, Financeira e de Tecnologia da Informação da organização.

________________
A Funcesp possui hoje recursos para investimento da ordem de R$ 29 bilhões e ocupa a quarta posição no ranking geral do setor. Possui 107 mil participantes de previdência – cerca de 15 mil ativos, 30 mil assistidos e 62 mil dependentes previdenciários – e opera uma folha de pagamento de benefícios de R$ 1,7 bilhão anual.

Atualmente, tem como patrocinadoras as seguintes empresas, para as quais administra benefícios de previdência ou planos de saúde: AES Eletropaulo, AES Tietê, CESP, Grupo CPFL (CPFL Energia, CPFL Brasil, CPFL Geração, CPFL Paulista, CPFL Piratininga), CTEEP, Rio Paranapanema, Elektro e EMAE e a própria entidade.

A Funcesp também é referência como operadora de saúde sem fins lucrativos, classificada pela ANS com o mais alto nível de satisfação. Hoje, administra os planos de saúde DIGNA Saúde, PES, NOSSO Plano de Saúde, Extensive e Essência, que totalizam cerca de 100 mil vidas. www.funcesp.com.br

https://www.arenadopavini.com.br/arena-previdencia/funcesp-fecha-2018-com-superavit-de-r-16-bi-e-rentabilidade-de-14-mas-fica-abaixo-da-meta

Print Friendly, PDF & Email