Dívidas das Patrocinadoras: O contencioso judicial que a PETROS não reconhece

José Lindolfo Magalhães

Resumo: R$ 26 bilhões de dívidas das Patrocinadoras ! Isto sem atualização !

Para um PED de R$ 27 bilhões! Ou seja, a dívida das patrocinadoras responde por 96% do PED!

E ainda tem valores não somados por não estarem estimados! Ou seja, as dívidas das patrocinadoras superam o PED!!

Onde está a ética, a justiça, a atitude “de ofício” dos Órgãos de Controle???!!

  • Destes R$ 26 bilhões de dívidas, a Petros só tomou iniciativa em 1 caso, no valor de R$ 496 milhões, ou seja, tomou iniciativa de cobrar da Petrobras somente 1,89% das dívidas!! E ainda assim, questionável, pois somente cobrou 50% de revisão de benefícios em decorrência de política remuneratória da Petrobras, ou, seja, se visto racionalmente, deveria cobrar o dobro do que está cobrando. Mas esta é outra questão!!
  • Onde está o dever da Petros de zelar pelo patrimônio do Fundo e pelos direitos dos participantes?
  • E ainda, a Petros reconhece outras dívidas, Notifica Judicialmente a Petrobras e não toma as medidas judiciais decorrentes para cobrar estas dívidas reconhecidas por ela mesmo – a Petros!!!
  • Há uma dívida que foi objeto de Contrato de Confissão de Dívida assinado por Petros e Petrobras há mais de dois anos!! A Petros não tomou nenhuma iniciativa de cobrança. Nem Notificou a Petrobras. Assunto percebido somente pelo Grupo GDP que vem tentando um encaminhamento.
  • Diante disso, como afastar a percepção de que a Petros age no sentido de não desagradar a Petrobras?
  • Como afastar a percepção generalizada de que há um “longa manus” da Petrobras na Petros que faz com que a administração da Petros só tome atitudes de interesse da Petrobras?
  • São percepções que precisam ser afastadas com fatos concretos, objetivos, insofismáveis, e não podem ser afastadas com “chorumelas inconsequentes” a bem dos interesses dos participantes e a perenidade do Fundo.
  • E.T. : esta planilha visa tornar transparente assunto de enorme interesse. O autor se coloca à disposição para aditar, retificar, corrigir, enfim, ajustar tudo que for necessário para a informação correta. Ou seja, caso Petros e Petrobras (ou qualquer entidade) queiram corrigir o que ora está exposto, basta apresentar os fatos concretos que o autor não hesitará em fazer as devidas correções e publicá-las nos mesmos fóruns.

Leia a íntegra:

2-ações-efetivas-para-cobrar-dividas-das-patrocinadoras

Print Friendly, PDF & Email