GDPAPE – A CARROÇA NA FRENTE DO CAVALO?

No dia 8 de junho de 2017, o Gdpape, através do comunicado n⁰ 65, informou que toda a diretoria iria votar e indicava apoio ao candidato da FNP Ronaldo Tedesco Vilardo.

Participantes do Gdpape, dentre os quais alguns fundadores, estranharam a repentina e não debatida posição da entidade, já que o referido candidato havia sido indiciado na CPI dos Fundos de Pensão: “que, na condição de membro do Conselho Deliberativo da Petros, em 2010, concorreu diretamente para ocorrência do prejuízo financeiro ao aprovar de forma, no mínimo, culposa a aquisição e a alteração da precificação das ações Itau S/A em detrimento ao patrimônio da PETROS”.

Surpreendente! já que o próprio Gdpape havia apoiado financeiramente a ida à Brasília de grupo de participantes para denunciar casos na CPI dos Fundos de Pensão, que envolviam a participação do referido candidato.

Considerado uma afronta alguns fundadores do Gdpape solicitaram desligamento da entidade e manifestaram publicamente a sua indignação.

No dia 9 de junho de 2017, o advogado contratado, que não é participante da Petros, responde a email com inúmeras cópias, que grifamos para posterior referência.


“Olá Marilena, boa tarde!

Os boletins que você anexou trazem informações a respeito do PPV que foi fulminado pela Justiça e nada tem haver [sic] com o déficit.

Marilena tenho recebido com perplexidade as ofensas ao GDPAPE e até mesmo ao Simion.

Não acho justo depois de tudo que já foi realizado e que efetivamente já foi concretizado.

A indicação do Ronaldo Tedesco faz parte de nossos objetivos que tem por causa tentar reduzir o déficit com o reconhecimento de dívidas tudo a evitar o quase inevitável déficit de 30 bilhões que poderá vir em 2017.

Pelo visto a indicação e a rixa pessoal entre uma pessoa e outra respingou no GDAPE. Ou melhor os interesses privados e a sede de “vingança” se sobrepôs [sic] ao interesse maior que é reduzir o déficit e minorar os impactos que todos irão absorver.

Mas essas críticas me levaram a pensar se realmente estaríamos no caminho correto. As críticas estão sendo tão veladas e duras que fui obrigado a fazer uma reflexão. Após fazer essa reflexão me senti mais confortável, pois, consegui verificar claramente que o GDPAPE já fez tanta coisa em tão pouco tempo e já demonstrou que todo o seu planejamento vem dando certo ao ponto de a PETROBRAS já ter reconhecido uma das dívidas (por certo que o fez de forma incorreta e para isso já denunciamos).

 A CPI dos fundos de pensão surgiu das mãos do GDPAPE. A PGR vem apertando cada vez mais a Petros, Petrobras e a PREVIC. O TCU já se manifestou favoravelmente por duas vezes. Hoje até a FNP fala em dívidas. Até o Paulo Cesar Chamadoiro vem falando que uma das consequências do déficit decorre do PCAC e a RMNR.

 Marilena será que a situação hoje estaria melhor sem o GDPAPE?

Será que o GDPAPE merece realmente ser agredido apenas porque indicou o Tedesco, atual Presidente do Conselho Fiscal, aquele que acolheu todas as argumentações do GDPAPE e as inseriu no relatório que não aprovou as contas de 2016 e tem nos ajudado com informações valiosas?

Marilena ontem eu e Simion estivemos na PREVIC e um dos fatos mais ressaltados pela PREVIC foi o fato de o Conselho Fiscal ter desaprovado as contas com argumentos técnicos relevantes, argumentos que estão nos autos do inquérito em curso na PGR os quais foram denunciados pelo GDPAPE.

Marilena nós não indicamos nenhuma chapa. O que nós fizemos foi indicamos a pessoa do Tedesco. Indicamos porque foi a única pessoa que se comprometeu a nos ajudar. E realmente a cerca de um ano ele vem nos apoiando com informações, documentos e recentemente com a inclusão de nossos estudos no relatório fiscal que desaprovou as contas de 2016.

Bem Marilena espero que os ânimos do GDPAPE não esfriem por causa dessas desarrazoadas e injustas agressões.

Espero qSei [sic] que o GDPAPE é maior que isso mas chega uma hora que cansa. Vejo tudo isso que está acontecendo hoje como estarei no dia 20 deste mês no Clube de Engenharia a partir das 14 horas apresentando as últimas informações a respeito dos acontecimentos mais recentes onde poderei retirar dúvidas a respeito do Plano de Equacionamento e da curiosa demissão do CD.

Abraços

RD”


Em resposta ao e-mail do advogado contratado, que não é participante da Petros, alguns se manifestaram e, que apresentamos um com algumas observações que merecem esclarecimentos:


1-    A CPI dos fundos de Pensão surgiu das mãos do GDPAPE. Não é verdade.

A CPI dos Fundos saiu dum somatório de forças interesses políticos. Que começou com uma operação formiguinha do pessoal dos correios batendo nos gabinetes de deputados e senadores.

O chefe de gabinete da Ana Amélia, Marcos Ferreira, me enviou um e-mail (que tenho guardado em POA) sugerindo que nos juntássemos aos aposentados dos correios, da caixa BB, e fizéssemos um corpo a corpo de peso senão não sairia a CPI.

Conseguimos localizar os líderes dos correios e da caixa em Porto Alegre e o Joelson no Rio, que se organizaram e percorreram os gabinetes com camisas amarelas e azuis juntamente com o Sergio o Raul Recheden, Lenocínio e o Tonietto, pedido aos políticos assinarem a lista para abrir a CPI.

Muitas pessoas e associações devem ter contribuído também, inclusive a GDPAPE que participou de Audiências Públicas.

Pedi por telefone a para um atual conselheiro perguntas para fazer na CPI ele se negou dando a enteder que seria um tiro no pé.

Qual desses conselheiros ajudaram na CPI?

Graças a ela começou a mudança de atitude da Previc e agora todos levam os louros.

A Ambep e o Gdpape auxiliaram com passagem o Raul e Sergio, o Gdpape agenciou o primeiro encontro do Raul e o do Sergio com o presidente da CPI, mas muito a antes disso já havia movimentação das pessoas dos Postais e da Funcef, bem como da Senadora Ana Amelia.

O Gdpape ajudou, porem a CPI não surgiu exclusivamente do Gdpape isto e uma bravata.

2-    Quero saber qual o interesse privado que está em jogo?

3-    O Tedesco acolheu os argumentos por obrigação do cargo, e muito tardiamente.

4-    “nós não indicamos nenhuma chapa o que nós fizemos foi indicar a pessoa do Tedeseco.’ Incoerência, trata-se da mesma coisa.

5-    “Indicamos porque foi a única pessoa que se comprometeu a nos ajudar.  Foi solicitada ajuda a algum outro candidato, e ele se negou? Qual?


Algumas perguntas que estão sem respostas elaboradas por participantes do Gdpape:

  • Como o Presidente do GDPAPE  declara publicamente na AGO do dia 27 / 04 que o GDPAPE não iria apoiar nenhuma candidatura e, agora, muda de opinião e apóia exatamente o Ronaldo Tedesco ?

  • Por que o Presidente da GDPAPE  se mantém  calado  e ausente  diante dessa questão  e  diante da reação negativa por ela causada entre seus associados   e  “delega”  suas  explicações  ao advogado  do  GDPAPE e ao próprio sr. Tedesco,   ao invés de ele mesmo vir à púbico dar suas explicações ?

  • Como pode o GDPAPE apoiar exatamente alguém que está indiciado pela CPI dos Fundos de pensão  e “…que, na condição de membro do Conselho Deliberativo da PETROS, aprovou de forma, no mínimo temerária, a aquisição e a alteração de precificação das ações Itau S/A, concorrendo diretamente para ocorrência do prejuízo financeiro da PETROS…”  ?
  • Como pode o GDPAPE apoiar exatamente um candidato que,  no exercício de sua Função de Presidente do Conselho Fiscal da PETROS,   foi notificado e advertido pela Direção da PETROS,  “… por infringir o Código de Ética, por divulgar dados das Demonstrações Contábeis, que ainda não estavam aprovados pelo Conselho Deliberativo….”  ?
  • Como o GDPAPE  apoiou o Ronaldo Tedesco  “…porque foi a única pessoa que se comprometeu a nos ajudar ? …”   O GDPAPE  se comunicou com algum outro candidato e pediu ajuda ? Foi rejeitado por algum outro candidato ?
  •  

    Como pode o GDPAPE apoiar algum candidato  sem consultar seus associados ? De quem foi essa escolha ?  Para que servem os associados ?

  •  

    Como pode o GDPAPE apoiar alguém que o próprio GDPAPE  ajudou  a   ser investigado  na CPI  dos Fundos de Pensão, patrocinando  o trabalho e ações do Sérgio Salgado e do Raul Rechden, naquela CPI, exatamente contra  as gestões da Petros e seus Conselheiros ?   Que coerência é essa ?

 

Bem, essas são algumas dúvidas que os associados do Gdpape manifestaram e, que devem ser esclarecidas na AGE que ocorrerá no dia 22/06/2017, no auditório do Clube de Engenharia, situado na Av. Rio Branco 124, às 10 horas em primeira chamada e 12 horas a segunda chamada, com a pauta:


1) Justificativas técnicas e administrativas que levaram ao apoio da candidatura do Sr. Ronaldo Tedesco Villardo para o Conselho Deliberativo da PETROS;

2) Medidas cabíveis em face dos responsáveis pelas publicações ofensivas ao GDPAPE;

3) Esclarecimentos do Dr. Rogério Derbly a respeito das últimas notificações; resultado da reunião com a PREVIC; ajuizamento da ação judicial sobre art. 48 + dívidas da PETROBRAS com a PETROS + equacionamento do deficit do Plano PETROS PPSP; bem como das regras sobre novas adesões às ações judiciais.


O Gdpape, através de seu presidente e do advogado contratado, que não é participante da Petros, devem minuciosas, esclarecedoras e objetivas respostas aos seus associados antes de submeterem ao sufrágio para que soberanamente os Participantes do Gdpape decidam o seu destino.

Finalmente, esclarecemos que não nos intimida “Medidas cabíveis em face dos responsáveis pelas publicações ofensivas ao GDPAPE”, já que em nenhum momento ofendemos o Gdpape, mas mesmo assim nos dará a oportunidade, de sob a luz do código de ética da OAB, esclarecermos algumas condutas do advogado contratado, que não é participante da Petros.

S.O.S. PETROS

Print Friendly, PDF & Email