PROCURADO PELA PF – Carlos Alberto Caser

Procurado

O ex-presidente do fundo de pensão dos trabalhadores da Caixa (Funcef) Carlos Alberto Caser e o ex-coordenador do fundo Fábio Maimoni Gonçalves são considerados procurados pela Polícia Federal, informou a Procuradoria da República no Distrito Federal. Eles não tinham sido localizados nesta segunda-feira (5) pelos agentes que cumpriram os mandados na operação “Greenfield”, que apura irregularidades em quatro dos maiores fundos de pensão do país.

Até as 10h desta terça, os mandados de prisão temporária contra os dois continuavam em aberto. A Polícia Federal não informou se foram realizadas diligências ainda nesta terça para prendê-los. Procurada, a Funcef não disse se iria abrir sindicância para apurar eventuais irregularidades cometidas pelos dois procurados.

Caser e Gonçalves fazem parte do grupo de sete pessoas que tiveram pedido de prisão temporária decretado pelo juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira. Ao todo, a Justiça Federal determinou que os 40 investigados na operação Greenfield sejam afastados das instituições financeiras.

Pela decisão, os supostos operadores do esquema não podem entrar nos prédios dos órgãos, conversar entre si, deixar o país e nem manter qualquer atividade no mercado financeiro. Na sentença, o juiz afirma que as sanções são uma “alternativa à prisão”, suficiente para “minimizar ou fazer cessar as atividades ilícitas e salvaguardar a ordem pública e econômica”.

Os outros alvos que tiveram pedido de prisão expedido são Carlos Augusto Borges, diretor do fundo; Demósthenes Marques, ex-diretor da Funcef; Humberto Pires Grault Vianna de Lima, gerente da Funcef; Maurício Marcelline Pereira, ex-diretor da Funcef; Guilherme Narciso de Lacerda, ex-presidente da Funcef.

Entre os 40 investigados está o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro. Ele foi alvo de condução coercitiva (quando a pessoa é levada a prestar depoimento, mas depois é liberada) nesta segunda. O empresário estava em liberdade provisória, mas voltou a ser preso nesta segunda por envolvimento na Lava Jato.

Os focos da operação Greenfield são a Funcef (fundo de pensão de funcionários da Caixa), a Petros (Petrobras), a Previ (Banco do Brasil) e o Postalis (Correios). A ação da PF contou com auxílio do Ministério Público Federal, da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2016/09/dois-ex-gestores-do-fundo-de-pensao-da-caixa-sao-procurados-pela-pf.html

Print Friendly, PDF & Email