Imprensa repercute diferenças entre S.O.S. PETROS e Conselheiros

O conselho deliberativo da Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, aprovou a indicação do ex-conselheiro Walter Mendes para ocupar a presidência da fundação no lugar de Henrique Jäger, que estava no cargo desde março de 2015. A indicação agora precisa ser habilitada pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

A indicação de Walter Mendes foi bem recebida por um grupo de aposentados da Petrobras organizados no SOS Petros e foi criticada pelos conselheiros eleitos no governo petista.

Em carta aberta, os aposentados elogiaram a desvinculação de Mendes “não mais representando grupo de acionistas da Petrobras e sem compromissos político-partidários”.

Já os demais conselheiros criticam o fato de Mendes não ter vinculação com a fundação. Com o PMDB agora à frente da Petrobras, vemos um representante ‘independente’, mas ligado ao comando da estatal. Portanto, sem a independência apregoada”, diz o grupo, em nota.

Os atuais conselheiros da Petrobras defendem a indicação de um nome que seja participante do fundo e querem também eleições diretas para as diretorias.

Os aposentados rebatem a proposta dos atuais conselheiros da Petros de nomear quadros internos. Eles defendem a nomeação de Mendes observando que se ele fosse participante do fundo de pensão isso limitaria “desnecessariamente” as opções para escolha da diretoria.

Ainda segundo o SOS Petros, a escolha de dirigentes de dentro da fundação “levaria à situação semelhante a que temos hoje, com pessoas despreparadas gerindo um patrimônio responsável pela manutenção de mais de 100.000 famílias”.

O SOS Petros termina a nota dizendo que entre as dificuldades que serão enfrentadas por Walter Mendes está o cenário causado por “anos a fio de má gestão e má fiscalização que imperaram na Petros”. Lembram que foi por iniciativa de Mendes, que presidia o comitê de auditoria estatutário da Petrobras, que o conselho fiscal da Petros foi chamado para explicar o déficit do fundo de pensão em 2015, o que nunca tinha acontecido antes, segundo os aposentados.

“Os danos praticados ao patrimônio da Petros vão muito além da simples medida do déficit atual, que é apenas a aferição do que foi perdido até agora. Ele envolve ainda aspectos de liquidez, rentabilidade, qualidade dos ativos e potencial de recuperação, fatores que continuarão a impactar negativamente os resultados futuros.

Recuperar a saúde desse patrimônio não é tarefa para amadores, por mais bem-intencionados que sejam”, encerra o SOS Petros, em nota.

Em nota, o diretor de recursos humanos, segurança, meio ambiente e saúde (SMS) e serviços da Petrobras, Hugo Repsold Junior, que preside o conselho deliberativo da fundação, disse que a chegada de Mendes será “essencial” para enfrentar o desafio de reequilibrar as finanças do fundo de pensão dos funcionários da estatal.

http://www.valor.com.br//financas/4677497/walter-mendes-e-aprovado-pelo-conselho-da-petros

Print Friendly, PDF & Email