A Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor), da Petrobras, completa 50 anos

FOTO AGÊNCIA PETROBRAS

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, descerrou ontem a placa comemorativa na Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor), que completou 50 anos em junho. Única do país a produzir lubrificantes naftênicos, que são vendidos às distribuidoras e comercializados em todo o país, a Lubnor foi inaugurada em 1966, no bairro do Mucuripe (Fortaleza), e processa diariamente cerca de 9,5 mil barris de petróleo. Deste total, 50% é destinado à produção de asfalto, cerca de 15% à obtenção de lubrificantes naftênicos e 35% à produção de outros derivados variados.

Este perfil representou, no ano passado, uma produção de 200 mil toneladas de asfalto e 57 mil m3 de lubrificantes naftênicos, produtos utilizados na fabricação de óleos isolantes para transformadores, graxas lubrificantes, fluídos de corte, óleos para compressores e óleos para amortecedores. Podem também ser empregados como plastificante de borracha.

Com uma área total de 321 mil m2, a Lubnor responde por 11% da produção de asfaltos do Brasil, fabricando e distribuindo o material para nove Estados das regiões Norte e Nordeste (Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Pará, Amapá e Tocantins). Todo o petróleo utilizado pela refinaria é do tipo ultra pesado.

Ao longo dos anos, seu parque industrial passou por várias ampliações, com a instalação de novas unidades de processo, o que levou a Lubnor a contar, atualmente, com uma Unidade de Lubrificantes (ULUB), uma Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) e uma Unidade de Vácuo (UVAC).

HISTÓRIA

A Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor) começou sua história com a instalação da Fábrica de Asfalto de Fortaleza (Asfor), em 1966. O objetivo era produzir asfalto para atender à demanda do Nordeste, tendo em vista a dificuldade de transporte desse tipo de derivado de petróleo. A capacidade de refino da Unidade de Vácuo (UVAC), na época, era de aproximadamente 2,8 mil barris de petróleo pesado por dia.

Em 1982, foi inaugurado o Píer Petroleiro do Mucuripe e instalado o Terminal de Granéis Líquidos, onde passaram a atracar navios de grande porte da frota da Petrobras, transportando derivados para abastecimento dos Estados do Ceará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.

No decorrer dos anos, a fábrica passou por ampliações da sua capacidade de processamento e instalação de novas unidades em sua planta. Em 1987, foi instalada a Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN). Em 1998, a Unidade de Lubrificantes (ULUB), o que levou à mudança do nome de Asfor para Lubnor. Em 2009, houve a instalação do Núcleo Experimental de Fortaleza (NUEF), que desenvolve projetos na área de bioprodutos e biolubrificantes a partir de biomassa.

http://www.agenciapetrobras.com.br/Materia/ExibirMateria?p_materia=978637

Print Friendly, PDF & Email