Dirigentes do Postalis são destituídos para dar lugar a indicados do governo Temer

O presidente dos Correios, Guilherme Campos, decidiu hoje (29) destituir Paulo Eduardo Cabral Furtado da presidência do Postalis – o fundo de pensão dos funcionários da estatal. Campos também determinou que o Conselho Deliberativo do Postalis, que se reuniu hoje, demitisse Humberto José Teófilo Magalhães da diretoria de investimentos da entidade.

Os dois chegaram aos respectivos postos depois que o PDT passou a comandar o Ministério das Comunicações. O partido deixou a Pasta após o impeachment de Dilma Rousseff.

O objetivo das mudanças é abrir espaço para nomes ligados ao governo do presidente interino Michel Temer. André Motta, ex-diretor de investimentos, foi indicado para a presidência. Christian Schneider, por sua vez, deverá assumir a diretoria de investimentos do fundo.

A expectativa é que os dois sejam confirmados em reunião do Conselho programado para esta segunda-feira (4).

Print Friendly, PDF & Email