O esquema de Chambinho na Petros

Alexandre Romano, o Chambinho, foi preso e apontado pela Lava Jato como controlador da empresa VIS Investimentos (antiga Nexpar), especializada em estruturar negócios no setor de energia e imóveis com recursos dos fundos de pensão.  Atualmente está preso no Paraná.

Uma das principais executivas da VIS Investimentos era Thaís Gaudino Brescia, que tem em seu currículo passagem por BVA e Banco Espírito Santo. Brescia é hoje coordenadora de investimentos da Petros, o fundo de pensão dos servidores da Petrobras. Ela também preside o Conselho Fiscal da Sete Brasil, indicada pela Petros.

Há fortes indícios de má-gestão do patrimônio dos fundos, de aplicação incorreta e indevida dos valores, além de eventual manipulação na gestão do fundo, realizadas por Lício da Costa Raimundo, diretor de investimentos da fundação petrobras de seguridade social – Petros.  Lício da Costa foi diretor da empresa VIS Investimentos.  Ele é o atual presidente do conselho de administração da Sete Brasil.  Quem também compões o conselho é Armando Tripodi.

http://ri.setebr.com/static/ptb/conselhos-e-diretoria.asp?idioma=ptb

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=E41FFB89D25F5B80BC83E7FD764CDD7F.proposicoesWeb2?codteor=1406524&filename=Tramitacao-RCP+15/2015

http://www.oantagonista.com/posts/fundos-de-pensao-na-delacao-de-chambinho

http://www.istoe.com.br/reportagens/440647_OS+ESQUEMAS+DO+MINISTRO+MOTOQUEIRO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email