Eleições Petros – Como Votar

Todos os participantes ativos e assistidos da Petros podem votar através do Portal Petros ou por telefone.

A eleição começa às 9h de 12 de junho e termina às 17h do dia 26 do mesmo mês.

PELA INTERNET: Basta acessar o Portal Petros (www.petros.com.br), tendo em mãos a matrícula Petros e a senha utilizada normalmente para acesso à Área do Participante.

POR TELEFONE: O eleitor deverá ligar para 0800 602 7550 e utilizar a senha enviada pelos Correios exclusivamente para a votação. A senha é individual, personalizada e secreta, e permitirá
ao eleitor acessar o sistema para registrar o voto apenas uma vez.

O calamitoso Henrique Jager representando a PETROS defende os Batistas (J&S – Eldorado)

Foi quente a reunião do conselho de administração da Eldorado Celulose na sexta-feira passada.

O representante da Petros, Henrique Jager, no conselho acusou o seu colega, representante da Funcef, Max Pantoja, de mentir na denúncia que fez ao MPF.

Pantoja assumiu-se como o responsável pelo pedido de instalação de auditoria independente para averiguar suspeitas levantadas pela Operação Greenfield.

O pedido foi feito, na verdade, pelo Conselho de Administração da Eldorado.

http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/clima-quente.html

FUNCEF, PREVI e VALIA cobram da Petrobras perdas na Sete Brasil. E a PETROS???

PETROS disse que não há ações contra a Sete Brasil.

Fundos de pensão que investiram na Sete Brasil, empresa destinada a construir sondas para exploração do pré-sal, vão recorrer contra a Petrobras em uma câmara de arbitragem para tentar recuperar os prejuízos causados por um esquema de corrupção envolvendo a petroleira.

Segundo apurou o Valor, a Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, vai recorrer à Câmara de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil Canadá. A entidade segue o mesmo caminho feito pela Funcef, da Caixa Econômica Federal, e pela Valia, dos funcionários da Vale, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

As informações correm em sigilo na câmara de arbitragem e o recurso é previsto em contrato. Procurada, a Previ disse que não iria comentar o assunto. Representantes da Valia e da Funcef não foram localizados. Os fundos têm participação na Sete por meio do FIP Sondas, dono de 95% da companhia.

O entendimento é que o resultado da arbitragem depende do desenrolar do plano de recuperação judicial da Sete Brasil, protocolado em agosto após a derrocada do petróleo e os escândalos de corrupção. O plano exigiria investimentos adicionais de US$ 5 bilhões. Uma assembleia para votar o plano foi adiada em janeiro, na falta de consenso entre os credores.

Os fundos de pensão não estão sozinhos. Nos Estados Unidos, o fundo de investimento EIG Partners, também cotista do FIP Sondas, propôs uma ação na Corte Distrital de Columbia por prejuízos com a Sete Brasil na qual são requeridos US$ 300 milhões de indenização da Petrobras.

A Sete Brasil recebeu inicialmente a encomenda de 28 sondas, um projeto que exigiria aportes de US$ 26,4 bilhões.

A Funcef aplicou inicialmente R$ 350 milhões no FIP Sondas, fatia que subiu para R$ 1,38 bilhão após aderir ao aumento de capital. Hoje tem 18% da empresa. Já a Previ colocou R$ 180 milhões para adquirir uma participação de 9,9% da Sete Brasil. A entidade decidiu não participar do aumento de capital e diluiu sua fatia para 2,3%. A fundação costuma afirmar que o investimento foi “profundamente investigado” pela CPI dos Fundos de Pensão, e que sua atuação foi destacada como exemplo na decisão de não acompanhar a segunda oportunidade de investimento.

O investimento da Valia na Sete foi de R$ 200 milhões. Assim como os outros fundos de pensão, a fundação também reconheceu as perdas com o investimento em seus balanços, considerando a remota possibilidade de continuidade do plano de negócios da empresa.

Além de ter sido alvo da CPI dos Fundos de Pensão, a Sete Brasil está envolvida em escândalos de corrupção no Brasil, como as operações Lava-Jato e Greenfield, relacionada a fundos de pensão, e em que foi alvo de mandados de busca e apreensão em setembro. Na Lava-Jato, a força tarefa já disse que a empresa foi criada para majorar preços e fraudar licitações do mercado de navios e plataformas. Os procuradores disseram, em abril de 2016, que o plano para montar a Sete Brasil serviu para como uma extensão do esquema de propinas na Petrobras.

A Petros, que também é cotista e já pediu investigação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a respeito de outros FIPs, disse que não há ações contra a Sete Brasil.

http://mobile.valor.com.br/empresas/4863384/fundos-de-pensao-cobram-da-petrobras-perdas-na-sete-brasil

DENÚNCIA À PREVIC – É o síndico do prédio enviando a fatura a pagar sem apresentar as contas

ra

Santos, 16 de setembro de 2016.

Superintendência Nacional de Previdência Complementar – Previc
A/C Diretoria de Fiscalização – DIFIS
Setor Bancário Norte, Quadra 02, Bloco N, Lote 8, 6º andar
CEP: 70040-020
Brasília – DF

Atenção do Sr. Hílton de Enzo Mitsunaga

Coordenador-Geral de Controle de Processos

Referente: Ofício nº 2638/2016/CGCP/DIFIS/PREVIC, de 30/8/2016 (vide em anexo)

Leia mais

FLUXO DE CAIXA DESCONTADO, OU COMO DEPENAR UM PATO

728px-field-dress-a-duck-step-2-version-3
“Não basta punir eventuais culpados. É preciso limitar as possibilidades de fraude, lançando mão de todas as ferramentas disponíveis para evitar que os participantes sejam eternizados como patos, sujeitos a serem depenados pelos mais variados esquemas criminosos. A mais eficaz dessas ferramentas é a transparência. Por sorte, é justamente a mais fácil de implementar. Mas tem sido a mais difícil de conquistar.”.

 

Raul Rechden

A avaliação de um investimento deve ser feita com muito critério, visando reduzir a limites aceitáveis o risco de frustração dos resultados. No caso de aplicações de fundos instituídos para pagamento de aposentadorias futuras, esse princípio se aplica com máxima intensidade, dada a relevância social da instituição, responsável que é pelo bem estar de um grande número de cidadãos e cidadãs em idade avançada.

Leia mais

Walter Mendes assume a presidência da Petros

waltermendes

Walter Mendes assumiu oficialmente nesta sexta-feira (9/9) a presidência da Petros, após ser habilitado pela Previc, órgão que regula e fiscaliza os fundos de pensão. O nome de Mendes foi aprovado pelo Conselho Deliberativo da Petros em 17 de agosto, em substituição a Henrique Jäger, que estava à frente da Fundação desde março de 2015.  “Nosso trabalho será norteado pela transparência absoluta, prestando um serviço de excelência para os nossos participantes e patrocinadoras, os verdadeiros donos dos recursos geridos pela Petros. Vamos trabalhar para fortalecer a cultura de investimento e continuar aperfeiçoando a governança corporativa, pois sempre há espaço para avançar”, destacou o novo presidente da Fundação.

Leia mais

O surrealismo de um comunicado

PF na Petros 1

Sérgio Salgado

 

Finalmente o MPF e a PF entraram firmes na investigação dos absurdos cometidos por todas as gestões dos grandes fundos de pensão estatais, incluindo o nosso, gestões essas que assumiram para corrigir erros passados e que não só não os corrigiram como conseguiram elevá-los ao quase infinito.

Fomos acordados neste último dia 5/9 pela Operação Greenfield que, baseada, principalmente no resultado da CPI dos Fundos de Pensão, incriminou dezenas de dirigentes e ex-dirigentes, bem como empresas que corroboraram para dar um rombo em nossas fundações. Só na Petros foram incriminados 14 pessoas. Houve busca e apreensão em diversos desses envolvidos, incluindo na própria Petros.

Leia mais

OPERAÇÃO GREENFIELD CHEGARÁ A LULA – 300 petistas e amigos nos conselhos de administração

image1

EX-PRESIDENTE DEFINIA INVESTIMENTOS IMPORTANTES DOS FUNDOS E garantia assento de indicados dos fundos de pensão, em geral petistas, nos conselhos de administração das empresas.

Líderes do Congresso acham que as investigações da Operação Greenfield chegarão a Lula. O ex-presidente se envolvia pessoalmente na definição de investimentos de fundos de pensão e até do BNDES.

Leia mais