Eleições Petros – Como Votar

Todos os participantes ativos e assistidos da Petros podem votar através do Portal Petros ou por telefone.

A eleição começa às 9h de 12 de junho e termina às 17h do dia 26 do mesmo mês.

PELA INTERNET: Basta acessar o Portal Petros (www.petros.com.br), tendo em mãos a matrícula Petros e a senha utilizada normalmente para acesso à Área do Participante.

POR TELEFONE: O eleitor deverá ligar para 0800 602 7550 e utilizar a senha enviada pelos Correios exclusivamente para a votação. A senha é individual, personalizada e secreta, e permitirá
ao eleitor acessar o sistema para registrar o voto apenas uma vez.

O calamitoso Henrique Jager representando a PETROS defende os Batistas (J&S – Eldorado)

Foi quente a reunião do conselho de administração da Eldorado Celulose na sexta-feira passada.

O representante da Petros, Henrique Jager, no conselho acusou o seu colega, representante da Funcef, Max Pantoja, de mentir na denúncia que fez ao MPF.

Pantoja assumiu-se como o responsável pelo pedido de instalação de auditoria independente para averiguar suspeitas levantadas pela Operação Greenfield.

O pedido foi feito, na verdade, pelo Conselho de Administração da Eldorado.

http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/clima-quente.html

FUNCEF, PREVI e VALIA cobram da Petrobras perdas na Sete Brasil. E a PETROS???

PETROS disse que não há ações contra a Sete Brasil.

Fundos de pensão que investiram na Sete Brasil, empresa destinada a construir sondas para exploração do pré-sal, vão recorrer contra a Petrobras em uma câmara de arbitragem para tentar recuperar os prejuízos causados por um esquema de corrupção envolvendo a petroleira.

Segundo apurou o Valor, a Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, vai recorrer à Câmara de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil Canadá. A entidade segue o mesmo caminho feito pela Funcef, da Caixa Econômica Federal, e pela Valia, dos funcionários da Vale, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

As informações correm em sigilo na câmara de arbitragem e o recurso é previsto em contrato. Procurada, a Previ disse que não iria comentar o assunto. Representantes da Valia e da Funcef não foram localizados. Os fundos têm participação na Sete por meio do FIP Sondas, dono de 95% da companhia.

O entendimento é que o resultado da arbitragem depende do desenrolar do plano de recuperação judicial da Sete Brasil, protocolado em agosto após a derrocada do petróleo e os escândalos de corrupção. O plano exigiria investimentos adicionais de US$ 5 bilhões. Uma assembleia para votar o plano foi adiada em janeiro, na falta de consenso entre os credores.

Os fundos de pensão não estão sozinhos. Nos Estados Unidos, o fundo de investimento EIG Partners, também cotista do FIP Sondas, propôs uma ação na Corte Distrital de Columbia por prejuízos com a Sete Brasil na qual são requeridos US$ 300 milhões de indenização da Petrobras.

A Sete Brasil recebeu inicialmente a encomenda de 28 sondas, um projeto que exigiria aportes de US$ 26,4 bilhões.

A Funcef aplicou inicialmente R$ 350 milhões no FIP Sondas, fatia que subiu para R$ 1,38 bilhão após aderir ao aumento de capital. Hoje tem 18% da empresa. Já a Previ colocou R$ 180 milhões para adquirir uma participação de 9,9% da Sete Brasil. A entidade decidiu não participar do aumento de capital e diluiu sua fatia para 2,3%. A fundação costuma afirmar que o investimento foi “profundamente investigado” pela CPI dos Fundos de Pensão, e que sua atuação foi destacada como exemplo na decisão de não acompanhar a segunda oportunidade de investimento.

O investimento da Valia na Sete foi de R$ 200 milhões. Assim como os outros fundos de pensão, a fundação também reconheceu as perdas com o investimento em seus balanços, considerando a remota possibilidade de continuidade do plano de negócios da empresa.

Além de ter sido alvo da CPI dos Fundos de Pensão, a Sete Brasil está envolvida em escândalos de corrupção no Brasil, como as operações Lava-Jato e Greenfield, relacionada a fundos de pensão, e em que foi alvo de mandados de busca e apreensão em setembro. Na Lava-Jato, a força tarefa já disse que a empresa foi criada para majorar preços e fraudar licitações do mercado de navios e plataformas. Os procuradores disseram, em abril de 2016, que o plano para montar a Sete Brasil serviu para como uma extensão do esquema de propinas na Petrobras.

A Petros, que também é cotista e já pediu investigação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a respeito de outros FIPs, disse que não há ações contra a Sete Brasil.

http://mobile.valor.com.br/empresas/4863384/fundos-de-pensao-cobram-da-petrobras-perdas-na-sete-brasil

DENÚNCIA À PREVIC – É o síndico do prédio enviando a fatura a pagar sem apresentar as contas

ra

Santos, 16 de setembro de 2016.

Superintendência Nacional de Previdência Complementar – Previc
A/C Diretoria de Fiscalização – DIFIS
Setor Bancário Norte, Quadra 02, Bloco N, Lote 8, 6º andar
CEP: 70040-020
Brasília – DF

Atenção do Sr. Hílton de Enzo Mitsunaga

Coordenador-Geral de Controle de Processos

Referente: Ofício nº 2638/2016/CGCP/DIFIS/PREVIC, de 30/8/2016 (vide em anexo)

Leia mais

FLUXO DE CAIXA DESCONTADO, OU COMO DEPENAR UM PATO

728px-field-dress-a-duck-step-2-version-3
“Não basta punir eventuais culpados. É preciso limitar as possibilidades de fraude, lançando mão de todas as ferramentas disponíveis para evitar que os participantes sejam eternizados como patos, sujeitos a serem depenados pelos mais variados esquemas criminosos. A mais eficaz dessas ferramentas é a transparência. Por sorte, é justamente a mais fácil de implementar. Mas tem sido a mais difícil de conquistar.”.

 

Raul Rechden

A avaliação de um investimento deve ser feita com muito critério, visando reduzir a limites aceitáveis o risco de frustração dos resultados. No caso de aplicações de fundos instituídos para pagamento de aposentadorias futuras, esse princípio se aplica com máxima intensidade, dada a relevância social da instituição, responsável que é pelo bem estar de um grande número de cidadãos e cidadãs em idade avançada.

Leia mais

Walter Mendes assume a presidência da Petros

waltermendes

Walter Mendes assumiu oficialmente nesta sexta-feira (9/9) a presidência da Petros, após ser habilitado pela Previc, órgão que regula e fiscaliza os fundos de pensão. O nome de Mendes foi aprovado pelo Conselho Deliberativo da Petros em 17 de agosto, em substituição a Henrique Jäger, que estava à frente da Fundação desde março de 2015.  “Nosso trabalho será norteado pela transparência absoluta, prestando um serviço de excelência para os nossos participantes e patrocinadoras, os verdadeiros donos dos recursos geridos pela Petros. Vamos trabalhar para fortalecer a cultura de investimento e continuar aperfeiçoando a governança corporativa, pois sempre há espaço para avançar”, destacou o novo presidente da Fundação.

Leia mais

O surrealismo de um comunicado

PF na Petros 1

Sérgio Salgado

 

Finalmente o MPF e a PF entraram firmes na investigação dos absurdos cometidos por todas as gestões dos grandes fundos de pensão estatais, incluindo o nosso, gestões essas que assumiram para corrigir erros passados e que não só não os corrigiram como conseguiram elevá-los ao quase infinito.

Fomos acordados neste último dia 5/9 pela Operação Greenfield que, baseada, principalmente no resultado da CPI dos Fundos de Pensão, incriminou dezenas de dirigentes e ex-dirigentes, bem como empresas que corroboraram para dar um rombo em nossas fundações. Só na Petros foram incriminados 14 pessoas. Houve busca e apreensão em diversos desses envolvidos, incluindo na própria Petros.

Leia mais

OPERAÇÃO GREENFIELD CHEGARÁ A LULA – 300 petistas e amigos nos conselhos de administração

image1

EX-PRESIDENTE DEFINIA INVESTIMENTOS IMPORTANTES DOS FUNDOS E garantia assento de indicados dos fundos de pensão, em geral petistas, nos conselhos de administração das empresas.

Líderes do Congresso acham que as investigações da Operação Greenfield chegarão a Lula. O ex-presidente se envolvia pessoalmente na definição de investimentos de fundos de pensão e até do BNDES.

Leia mais

O peso do AOR no balanço e o impacto dos PIDV’s no PPSP da PETROS

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Petros publicou ao final de agosto/2016, após a saída do Sr. Henrique Jäger da presidência da Fundação Petros, substituído pelo Sr. Wálter Mendes de Oliveira Filho, o Relatório de Atividades de Dezembro de 2015. Essa publicação só ocorreu após termos enviado representação à Previc e também ao novo presidente, o que nos leva a crer que havia sim, um responsável pela sonegação de informações.

Leia mais

Critérios Nebulosos + Alta Concentração + Baixíssima liquidez = Déficit explosivo na PETROS em 2015

(Clique na imagem para ampliar)
(Clique na imagem para ampliar)

 

Pessoas ligadas à administração de fundos de pensões, principalmente aqueles patrocinados por empresas estatais federais, têm se esforçado em demonstrar que os rombos atuariais espetaculares apresentados em seus planos de aposentadoria são consequência da conjuntura econômica adversa.  Nada mais falso.

Leia mais

NEGÓCIO CONDENADO PELA PREVIC E PELA CPI DOS FUNDOS DE PENSÃO RESPONDE POR 18,5% DO DÉFICIT DO PPSP EM 2015

pendurado

Em 30 de dezembro de 2010 a Petros adquiriu da Camargo Corrêa e outros, pagando prêmio de controle, cerca de 12,7% do capital votante da Itaúsa, holding que controla o banco Itaú. Investiu na operação R$3,09 bilhões, que correspondiam a  6,3% do patrimônio do PPSP na época.  Para saldar a aquisição foram vendidos títulos federais no valor de R$2,6 bilhões, complementados com recursos oriundos de outras fontes.

Leia mais

PETROS TEM NOVO PRESIDENTE

image1

SÃO PAULO (Reuters) – A Petrobras informou nesta sexta-feira que o conselheiro Walter Mendes renunciou ao cargo no Conselho de Administração, que aprovou a sua indicação para ocupar a presidência da Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros).

Com renúncia de Mendes, que deixa também a presidência do Comitê de Auditoria Estatutário da companhia, o Conselho elegeu Marcelo Mesquita como membro do colegiado até a próxima assembleia geral da Petrobras.

http://m.extra.globo.com/noticias/economia/mendes-renuncia-conselho-da-petrobras-e-indicado-para-petros-mesquita-substitui-19906897.html

PETROS SONEGA INFORMAÇÕES AOS PARTICIPANTES

falcatruas
(clique na imagem para ampliar)

 

 

Indigne-se e escreva exigindo que seja restabelecido as informações aos Participantes da PETROS.

ESCREVAM PARA OS CONSELHEIROS,  ELES PEDEM SEU VOTO QUANDO QUEREM SE ELEGER.

ESCREVAM PARA SINDICATOS, FEDERAÇÕES E ASSOCIAÇÕES DE MANTENEDORES DA PETROS.  ELES COBRAM MENSALIDADES SE PROPONDO A LUTAR POR DIREITOS.

AONDE ESTÃO ELES QUE NÃO SE APRESENTAM??????

OU ESTÃO SILENCIOSAMENTE COONESTANDO??????

 

Encaminhado para: ouvidoria@petros.com.brprevic.ouvidoria@previc.gov.br

A PETROS mesmo divulgando suas iniciativas de transparência e de diálogo com os Participantes para o equacionamento do calamitoso déficit de R$ 23 bilhões, em 2015, vem há mais de 7 (sete) meses SONEGANDO informações VITAIS aos seus mantenedores.

Solicito à PETROS informar os motivos e quando será disponibilizado para os participantes o Relatório de Atividades de dezembro de 2015, bem como os de janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho e julho de 2016.

Informo que é condição imperiosa a disponibilização dos Relatórios de Atividades para discussão do equacionamento do déficit a ser rateado entre os Participantes. A abrupta interrupção do fluxo de informações, neste momento de equacionamento do déficit, caracteriza-se como SONEGAÇÃO, e assim o trataremos nas instâncias competentes.

Solicitamos à PREVIC urgente atuação de suas responsabilidades no sentido de restabelecer o fluxo de informações, senão legais, tradicionais há mais de 15 anos fornecidas pela PETROS aos seus mantenedores.

ABDO GAVINHO
Matrícula Petros: 280109

Patrocinadora: PETROBRAS – PLANO PETROS/SISTEMA PETROBRAS – ASSISTIDO – 70051