GDPAPE se apequena com alianças espúrias

Ao que parece, a atual Diretoria do GDPAPE abdicou de dirigir a entidade.
Quem tem e teria que dar explicações, se é que isso é possível, seria ela e não um advogado contratado para entrar com ações e dar-lhe o necessário suporte jurídico. Assim,  ficam de lado os princípios e, com relação a princípios não há como transigir.
Observa-se uma promiscuidade aonde o estatuto do GDPAPE é rasgado e advogado, não participante da Petros, sem mandato por eleição, passa a responder pela entidade.
Como se pode apoiar:
a) Um sindicalista ligado ao PSTU, inscrição 005818000310, datada de 11/12/1995 (http://riodejaneiro.rj.filiaweb.com/filiados/pstu) , partido que tem como ideário que O capitalismo conduz a humanidade à destruição e, a proposta de Estatizar o sistema financeiro.  Este senhor, comungando desses ideais e propostas quer nos representar em nosso Fundo de Pensão, em uma cadeira no Conselho deliberativo, para decidir nossos investimentos???
b) Um conselheiro que aprovou o nefasto Negócio Itausa e, tantos outros???
c) Um conselheiro que excluiu a maioria de nós de sua lista e que não respondia aos questionamentos que lhe eram feitos???
d) Um conselheiro que validou outros negócios altamente prejudiciais à saúde financeira da Fundação???
e) Um conselheiro cujo objetivo maior é ser diretor, que repete a todo momento, inclusive no debate entre candidatos???
f) Uma pessoa que se jacta de ter conseguido resultados que não lhe cabem???
O GDPAPE precisa refletir e se redirecionar. Quem sabe, depois disso, há condições de diálogo.
O fato de o GDPAPE ter feito bom trabalho, não lhe dá o direito de tomar atitudes como essa. Se, para nós, o fato é incompreensível e vil,  fico a imaginar para os seus associados.

S.O.S. PETROS