Chegou a hora

Caros Participantes,

De 12/6/2017 às 9 hs e até 26/6 às 17 hs estará aberta a votação para escolha dos Conselheiros Deliberativos e Fiscais da Petros que nos representarão.

Estamos vindo de mais de uma década de aparelhamento de nossa Fundação, com Conselheiros apoiados por entidades sindicais e/ou com vínculos partidários.

A nefasta consequência é um rombo inimaginável de R$ 27 bilhões.

Esses mesmos Conselheiros estão aí, mais uma vez, buscando se reeleger, alternando entre si cargos há mais de 10 anos, e defendendo veementemente a eleição direta para Diretor da Fundação.  Comprovadamente incompetentes ainda lutam e almejam ser diretores da Petros.

Passaram anos ecoando a cantilena de gestores do PT na Petros, de que o déficit era conjuntural.

Quando explodiu a Lava-jato e mais tarde a operação Greenfield e a Petros teve sua sede alvo de busca e apreensão, esses Conselheiros começaram a trocar lentamente o discurso do déficit conjuntural, para introduzir perdas em investimentos, como fator relevante da formação do rombo.

Trocam de discurso, de idéias e fazem alianças, sem nenhum escrúpulo, visando única e exclusivamente se manterem no poder.

Nesses 14 anos que se vangloriam de ter rejeitado as contas das demonstrações contábeis, não há nenhuma referência a suspeição de investimentos.

Somente em 2016 passaram a incluir a recomendação de evitar investimentos com contrapartes duvidosas.  As contas são sempre rejeitados por motivos contábeis, por que a Direção da Petros  embola e custeia  os serviços administrativos de TODOS  os seus planos  com recursos destinados ao custo administrativo do PPSP.  Nós pagamos a burocracia de TODOS  os Planos geridos pela Petros!  Por essa coisa menor, rejeitam as contas!

Só isso!  Jamais  as contas foram rejeitadas por má Gestão, por aplicações duvidosas e criminosas atendendo a  interesses externos, etc!….  Jamais foram rejeitadas pelos “bilhões”  que estamos perdendo!

Durante os últimos 6 anos um pequeno grupo de participantes, liderados por Sérgio Salgado, vem denunciando os descalabros nos investimentos da Petros e, sendo desqualificado pelos conselheiros eleitos.

Vejam os caminhos percorridos ao longo do tempo:

 

2011 11 24 – MPF – RJ – representação

2013 03 30 – Contratado parecer ao desembargador Sérgio D´Andréa

2014 01 16 – PREVIC – representação

2014 02 28 – CVM – representação

2015 02 26 – MPF – Brasília – depoimento sobre investimentos Petros

2015 03 05 – Polícia Federal em SP – depoimento

2015 03 16 – PREVIC – representação

2015 03 20 – CVM – representação

2015 03 24 – Audiência Pública na CDC – apresentação

2015 07 07 – TCU – representação

2015 07 21 – TCU – representação

2015 08 04 – PREVIC – representação

2015 08 04 – PREVIC – representação

2015 09 24 – PREVIC – representação

2015 11 12 – CPI dos Fundos de Pensão – depoimento

2015 11 16 – TCU – representação

2015 12 10 – Operação Lava Jato – Depoimento em Curitiba

2016 05 19 – MPE SP – representação

2016 08 09 – PREVIC – representação

2017 03 28 – Operação Greenfield – Depoimento no RJ

 
O tempo, senhor da história, revelou a verdade e quem estava com a razão. Há ainda muito por ser desvendado, cobrado e punido os responsáveis.
 
Chegou a hora de uma eleição e o momento de buscarmos uma representação sem vínculo com esse passado que nos trouxe até um rombo de R$ 27 bilhões.
 
A Patrocinadora Petrobras está fazendo a sua parte, indicou um presidente competente em sua área de atuação, de reputação ilibada e, que já realizou mudanças expressivas na gestão da Petros.  Substituiu diretores, Conselheiros em empresas e Ouvidora que tinham vínculos partidários/sindicais.
 
Também está corajosamente negociando com a Patrocinadora as dívidas, e buscando na justiça reparos a estragos em nosso Fundo de Pensão. Temas que sempre foram cobrados da gestão da Petros e nunca encaminhados efetivamente. Está previsto o recadastramento para a atualização atuarial do plano PPSP.
 
Falta agora fazermos a nossa parte que é eleger representantes que estejam genuinamente comprometidos com os NOSSOS interesses na Petros.
 
Permitam-me, indicar a dupla 46 para o Conselho Deliberativo, que estão pela primeira vez se candidatando e, apresentam formação intelectual à altura do cargo.  
 
Apresentam uma história na Petrobras de competência e integridade, Desenvolveram uma campanha ética.
 
A dupla 46 JOSÉ MAZUCATO e MARCIO BOAVENTURA:
 

 

 

Mazucato – Paulista, descendente de japonês, 39 anos, casado, pai de uma filha e em breve de outra, graduado em engenharia elétrica, pós-graduado em engenharia de petróleo e especializado em gestão de negócios, trabalha há 14 anos na Petrobras e atualmente exerce a função de gerente de projetos na Petrobras Bacia de Campos, com grande experiência na avaliação e aprovação de projetos. Já atuou na operação e gerenciamento operacional de plataformas da bacia de campos como engenheiro e como gerente setorial. Atuou no mercado financeiro como escriturário e na área de sistemas de tecnologia pelo Banco do Brasil.

 

 

 

 

 


 

 

 

Marcio Boaventura – Baiano, 48 anos, divorciado, pai de filha(falecida), filho do petroleiro aposentado Dielio Fernandes do Sacramento, 14 anos de Petrobras, graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Bahia. Pós-graduado em Engenharia de Petróleo pela Universidade Petrobras. MBA em Gestão de Projetos pela FIA – USP. Certificado PMP pelo Project Management Institute (PMI). Atualmente Consultor na Gerência de Projetos de Revitalização e Desenvolvimento da Produção de Roncador na UO-Rio. Trabalhou em diversos Projetos de Desenvolvimento da Produção em Marlim Sul, Marlim Leste e Albacora Leste. Antes da Petrobras trabalhou 10 anos como Engenheiro Civil em diversas obras na Bahia. Cursando Direito na Estácio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abdo Gavinho
Editor & Webmaster de
Discrepantes.com.br