Suíça ajuda procuradores do Brasil com investigações sobre grandes comerciantes de petróleo

Autoridades suíças estão ajudando os promotores brasileiros em uma investigação sobre um esquema de corrupção envolvendo as empresas globais de comércio de commodities Vitol , Glencore e Trafigura , disse um porta-voz do Gabinete do Procurador Geral da Suíça na segunda-feira.

O porta-voz disse que o gabinete do procurador-geral recebeu pedidos entre junho de 2018 e janeiro de 2019 para “assistência jurídica mútua” de promotores brasileiros em relação à investigação.

Promotores brasileiros alegaram que executivos de empresas de commodities, incluindo alguns dos Estados Unidos, estavam envolvidos em pagamentos indevidos a executivos da Petroleo Brasileiro SA.

O Departamento de Justiça dos EUA lançou sua própria investigação sobre essas transações comerciais.

O porta-voz do procurador-geral acrescentou os pedidos em causa “em particular duas das três empresas mencionadas, bem como várias pessoas singulares (pessoas individuais). Estes pedidos ainda estão a ser executados”. Ele não identificou as duas empresas ou os indivíduos.

Os procuradores federais brasileiros e as firmas comerciais não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

A Vitol e a Glencore disseram anteriormente que estão cooperando com as autoridades brasileiras, e a Trafigura disse que leva as acusações a sério. Todos os três foram suspensos de negócios com a Petrobras .

Em dezembro do ano passado, promotores brasileiros alegaram que as três empresas e outras coletivamente pagaram pelo menos US $ 31 milhões em propinas ao longo de um período de seis anos a funcionários da Petrobras para garantir vantagens em negócios.

O anúncio marcou uma nova fase nos anos da “lavagem de carros”, que derrubou presidentes em dois países e enviou mais de 130 políticos e empresários para a cadeia em toda a América Latina.

As autoridades suíças, norte-americanas e brasileiras trabalharam de perto em casos de lavagem de carros que levaram ao maior acordo de leniência do mundo, depois que o conglomerado industrial Odebrecht concordou em pagar US $ 2,6 bilhões.

O promotor geral da Suíça anunciou em novembro de 2016 que havia aberto uma investigação criminal contra um funcionário da Trafigura como parte de uma investigação mais ampla sobre suspeita de corrupção na Petrobras.

https://www.opetroleo.com.br/suica-ajuda-procuradores-do-brasil-com-investigacoes-sobre-grandes-comerciantes-de-petroleo/

Print Friendly, PDF & Email