Governo indica três nomes para conselho de administração da Petrobras

Em comunicado ao mercado, petroleira informa que os indicados pelo acionista controlador serão submetidos aos procedimentos de governança corporativa da empresa

14/01/2019 12:11 – Atualizado em 14/01/2019 12:13
20190114121006431456e.jpg– Foto: Mauro Pimentel/AFP
A Petrobras informou, nesta segunda-feira (14/1), por meio de um comunicado ao mercado, que recebeu, de seu acionista controlador, a União, conforme assegurado pelo estatuto social da companhia e a legislação vigente no Brasil, a indicação de três novos membros para o conselho de administração. Eduardo Bacellar Leal Ferreira, John Milne Albuquerque Forman e João Cox foram os nomes escolhidos pelo novo governo para substituir Luiz Nelson Carvalho e Francisco Petros, que renunciaram em 1º de janeiro, e Durval José Soledade Santos, que renunciou hoje.

“As referidas indicações serão submetidas aos procedimentos de governança corporativa da Petrobras, incluindo as respectivas análises de conformidade e integridade requeridas pelo processo sucessório da companhia, com apreciação pelo comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão, e pelo conselho de administração e, posteriormente, pela assembleia geral de acionistas”, afirma, em nota.

Leal Ferreira é almirante de esquadra e foi comandante da Marinha do Brasil até janeiro de 2018, tendo, portanto, chegado ao topo de sua carreira. Além da Escola Naval, Leal Ferreira recebeu treinamento de nível superior na Escola de Guerra Naval do Brasil, na Academia de Guerra Naval do Chile e na Academia Naval de Annapolis dos EUA. Antes de ser comandante da Marinha do Brasil exerceu vários cargos importantes na Força, tendo sido chefe do Estado Maior da Marinha e comandante-em-chefe da esquadra.

“Leal Ferreira foi treinado e teve suas capacidades de liderança, gestão e visão estratégica testadas e aperfeiçoadas ao longo de muitos anos de experiência. Foi indicado por nosso acionista controlador para exercer a presidência do conselho de administração”, diz a Petrobras.

Forman é graduado em geologia e Master of Science em Geologia pela Universidade de Stanford, Califórnia, EUA. Foi professor da Escola de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tendo sido chefe do Departamento de Geologia Econômica e Minas do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro do Conselho Científico e Tecnológico do Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Ao longo de sua carreira, recebeu várias honrarias, concedidas, respectivamente, pela Associação Brasileira de Geólogos do Petróleo, Sociedade Brasileira de Geologia, Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério das Minas e Energia, Ministério das Relações Exteriores, Marinha do Brasil e UFRJ. “Considerado um dos maiores especialistas brasileiros em Geologia e Energia, Forman exerceu vários cargos executivos na iniciativa privada e órgãos do governo. Foi presidente da Unipar, da Nuclebrás, diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) e de várias outras empresas. Também foi membro do conselho de administração de companhias privadas e estatais na indústria petroquímica e energia”, destaca, ol comunicado.

Cox é economista com especialização em economia petroquímica pela Universidade de Oxford, Reino Unido. Possui carreira bem sucedida como executivo, tendo sido presidente da Telemig Celular e da Claro. “Possui vasta experiência como membro do conselho de administração de diversas companhias, como Tim Brasil, onde é presidente do conselho, Tim Participações, Embraer, Linx e Braskem”, diz.

Os três membros indicados deverão substituir Luiz Nelson Carvalho, Francisco Petros e Durval José Soledade Santos no Conselho de Administração da Petrobras. Carvalho e Petros apresentaram pedido de renúncia no dia 1º de janeiro de 2019, enquanto a renúncia de Soledade foi apresentada hoje e é efetiva a partir de 4 de fevereiro de 2019. “A nova composição do conselho, após aprovadas as indicações, manterá o percentual mínimo de 40% de membros independentes, em estrita observância ao estatuto social da companhia”, diz, a empresa.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, comentou a respeito das mudanças: “No passado recente foi construída sólida governança corporativa e instituídas rigorosas normas de integridade e conformidade, que serão preservadas e se necessário reforçadas. Foi um ciclo que se encerrou. Uma nova era se inicia com uma visão estratégica de longo prazo e objetivo de geração de valor para os acionistas e para o Brasil. As modificações na administração da Petrobras refletem a nova orientação”.

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2019/01/14/internas_economia,730727/governo-indica-tres-nomes-para-conselho-de-administracao-da-petrobras.shtml

Print Friendly, PDF & Email