Petros anuncia “programa de integridade” para evitar irregularidades

Rennan Setti – O Globo

RIO – A Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, anunciou nesta quinta-feira o lançamento de um “programa de integridade” que buscará blindá-la de irregularidades como as investigadas na operação Greenfield e na CPI dos Fundos de Pensão. Entre as medidas que integram o programa, segundo o presidente Walter Mendes, estão a revisão do código de ética da fundação, a criação de condutas específicas sobre conflito de interesse, a abertura de um canal independente de denúncia, além de uma nova política de indicação de conselheiros externos nas empresas investidas que vem sendo seguida.

— O programa de integridade visa à melhoria dos controles internos e da governança da gestão. Esse movimento em prol da governança começou nos anos 90, sobretudo nos EUA, e foi seguido por muitas companhias que precisavam acessar aquele mercado nos anos 2000. Mas ele chegou um pouco atrasado aos fundos de pensão. Infelizmente, muitos problemas tiveram que acontecer para que isso pudesse ser feito — afirmou Mendes, em seminário sobre controles internos realizado no Rio em parceria com a Previ, fundo de pensão do BB. — Temos algumas exceções, é claro, como a Previ, mas ainda são casos isolados, seja nas empresas estatais ou nos fundos de pensão das empresas estatais. Muito ainda precisa ser feito.

Por meio do canal de denúncia, empregados e participantes podem relatar anonimamente denúncias de fraude, corrupção e mesmo assédio no ambiente de trabalho. No caso do código de condutas éticas, a Previ informou que a versão revisada indica valores e comportamentos que devem ser seguidos por seus funcionários e parceiros.

Em setembro, a Petros apresentou seu plano de equacionamento do déficit do seu plano mais antigo, o Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), que deve chegar a R$ 27,7 bilhões no fim do ano. Desse total, o contribuinte (ativo, aposentado e pensionista) vai arcar com 50,55% da conta, por meio de uma contribuição mensal extra que será cobrada ao longo de 18 anos. Em alguns casos, o aumento chegará a 19,2%.

https://oglobo.globo.com/oglobo-22102717

Print Friendly, PDF & Email