Grupo Galileo – A PF CHEGOU A RICARDO MAGRO

Na Operação Recomeço, a Polícia Federal cumpre sete mandados de prisão e 12 de busca e apreensão. Determinou-se o bloqueio de bens e ativos financeiros de 46 pessoas físicas e jurídicas num total de R$ 1,35 bilhão.

Entre os que serão presos, um nome merece atenção especial: Ricardo Magro.

Eu (Claudio) descobri Ricardo Magro numa ata da diretoria do Grupo Galileo. O empresário não tem qualquer relação com o setor educacional, sendo mais conhecido como sonegador de impostos e fraudador de combustível.

Magro é dono da Refinaria de Manguinhos, uma espécie de Pasadena carioca que a turma de Eduardo Cunha, Henrique Alves e Edison Lobão tentou empurrar a preços exorbitantes para a Petrobras, como delatou Nestor Cerveró.

Além da ligação com Cunha, Magro também é próximo de Marcelo Sereno, que foi chefe de gabinete de José Dirceu.

PT e PMDB no Rio sempre atuaram como um consórcio criminoso com atuação ampla, do petróleo à educação.

Print Friendly, PDF & Email