Petrobras: Maioria de ativos superavaliados estão em duas áreas

Por André Ramalho, Rodrigo Polito, Cláudia Schüffner | Valor

RIO – A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que a maior parte dos ativos com valores justos abaixo do contábil estão nas áreas de Abastecimento e de Exploração e Produção (E&P).

De acordo com dados apresentados pela executiva, dos 52 ativos avaliados, 13 da área de Abastecimento; 13 de E&P; e quatro na área de Gás e Energia registraram valores justos abaixo do valor contábil, num valor total de R$ 88,6 bilhões.

Ao todo, foram avaliados 52 ativos. Desse total, 28 foram avaliados pela própria Petrobras e 24 pelas consultorias contratadas. As refinarias Rnest (Refinaria do Nordeste ou Refinaria Abreu e Lima), em Pernambuco; e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), no Rio de Janeiro, segundo Graça, foram avaliados por um dos consultores independentes.

Dentre os ativos que registraram valor justo acima do contábil, seis são da área de E&P, sete de Gás e Energia e oito do Abastecimento, que totalizam R$ 27,2 bilhões.

O diretor de abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, afirmou que a área que comanda responde por 94% dos R$ 88,6 bilhões relativos ao valor encontrado de diferença entre o valor contábil e o valor justo de ativos da companhia.

Segundo ele, a maior parte desse percentual é relativa aos projetos do Comperj e RNEST, entre outros.

Lava-Jato

O valor de R$ 188,4 bilhões de imobilizado relativo a 52 ativos da Petrobras avaliados pode aumentar no futuro se mais empresas forem citadas nas investigações da operação Lava-Jato da Polícia Federal, afirmou a presidente da companhia.

“A questão não é trivial, depende do tempo e da evolução do andamento de todos esses projetos junto à Polícia Federal que obviamente não temos menor influência sobre o andamento. Se tiver mais depoimentos que surjam mais empresas, temos que buscar abrir esse número. Esse número cresce”, afirmou ela, em teleconferência com analistas.

“Esse número [R$ 188,4 bilhões], não posso dizer que é firme porque realmente depende do número de empresas [citadas]”, completou a executiva.

Print Friendly, PDF & Email