Cerveró vai processar Bradesco por erro ao informar Coaf; banco reconhece erro

SÃO PAULO – O ex-diretor internacional da área internacional Nestor Cerveró, que foi detido no dia 14 de janeiro, irá processar o Banco Bradesco por danos morais, após a instituição reconhecer um erro de envio de informações ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) em 2011.

O erro no envio de informações indicou que o ex-diretor teria sacado R$ 200 mil em espécie da conta de uma usina de etanol instalada em Paracatu, interior de Minas Gerais e foi reconhecido pelo banco em petição na última sexta-feira.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, afirmou que “o dano moral foi gravíssimo” porque a suposta movimentação financeira foi um dos argumentos utilizados pelo juiz Sérgio Moro para embasar o novo pedido de prisão preventiva contra Cerveró. O caso ainda foi noticiado na imprensa e, como a informação era creditada a um órgão oficial, a defesa teve a sua credibilidade prejudicada, destacou o advogado.

Cerveró foi preso na madrugada do dia 14 no Riogaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim, após desembarcar de um voo que chegou de Londres. Ele foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde outros investigados na Lava Jato que estão presos.

O ex-diretor é acusado de atuar com o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, para cobrar propina de empresas que tinham contrato com a Petrobras.

Print Friendly